Tutoriais e Técnica

Caminhar com mochilas cargueiras

Este texto do Mario foi publicado no jornal “Mountain Voices” na edição #131, Maio de 2013 – página 08, e sofreu uma leve alteração no parágrafo inicial nesta reprodução.

Não basta organizar a mochila de forma certa, é preciso lembrar que você está com 10 ou mais quilos extras nas costas e que esse peso age sobre sua capacidade de deslocamento e equilíbrio – quer você queira ou não.

Dois fatores principais, seu desempenho e seu equilíbrio, são afetados diretamente. Não é preciso dizer que quando você está mais leve você anda melhor, ou mesmo que quando não existe uma cargueira enorme nas suas costas o seu equilíbrio para abaixar ou se inclinar é totalmente diferente.

1. Desempenho durante a caminhada

O peso extra vai sobrecarregar suas pernas e se a mochila estiver mal arrumada ou ajustada irá sobrecarregar também o seu tronco. Numa situação onde levamos muita carga montanha acima (ou montanha abaixo) o melhor é manter o tronco o mais reto possível e fazer com que as pernas trabalhem. Isso não costuma ser fácil no início e será um bom exercício para as suas pernas, aliás, é recomendável que você faça trilhas menores com cargas mais leves até as suas pernas se adaptarem ao esforço. Exercícios para fortalecimento das pernas como: corrida, musculação e bicicleta também terão efeito positivo no seu condicionamento.

O problema de inclinar o tronco para frente ao caminhar com a cargueira é que isso prejudica o funcionamento do diafragma e gera uma dificuldade para respirar, o que vai diminuir o volume de oxigênio e consequentemente você vai se cansar mais rápido. Um aliado para evitar isso e para reduzir o efeito do peso é o bastão de caminhada. O uso de dois bastões pode reduzir em até 25% o efeito da carga sobre as articulações da perna. Quando ajustados de forma correta os bastões lhe ajudam a evitar que você incline o corpo para frente, além de servir como apoio para descansar nas paradas.

2. Caminhar com a mochila cargueira

Se a caminhada for montanha acima evite dar passos longos demais ou fazer algum malabarismo para alcançar algum ponto da trilha. Passos largos facilitam o cansaço – principalmente em terrenos acidentados – opte sempre por passos mais curtos. Em trilhas com muitos “degraus” escolha aqueles que tem a menor diferença de altura entre eles, assim você não sobrecarrega tanto as pernas quando elas fazem o movimento de erguer o corpo. Este é mais um momento onde o bastão de caminhada é um grande aliado, ele pode ser usado como apoio para reduzir o esforço das pernas e vencer o lance com mais facilidade.

Já se a caminhada for pra baixo os cuidados principais devem ser com a sobrecarga dos joelhos, com os trechos desnivelados e com o seu equilíbrio. Nunca corra com a mochila cargueira quando estiver descendo a trilha, se você perder o controle da descida o peso extra será um grande problema… Quando o assunto são as trilhas desniveladas demais (aí quem tem problemas nos joelhos costuma reclamar muito) o melhor a ser feito é manter o passo sob controle, sem esforços desnecessários ou passos largos e abusar do bastão de caminhada para auxiliar nos pontos mais difíceis.

O bastão de caminhada é um grande e importante aliado quando estamos com mochilas cargueiras. Algumas pessoas gostam de usar um bastão, já outras preferem dois. Teste ambos os casos e veja qual você gosta mais. Eu particularmente uso um bastão quando estou com mochilas mais leves, e dois bastões quando estou com cargueiras pesadas.

Ao se abaixar ou se inclinar lembre-se da mochila, o mesmo vale para giros de tronco quando estamos em trilhas estreitas e com mais pessoas.

Se for necessário se abaixar para pegar alguma coisa não incline com a mochila para frente, prefira abaixar flexionando os joelhos e se possível com o apoio extra dos bastões ou de alguma árvore ou pedra. Ao inclinar o corpo para frente ou mesmo para os lados com a mochila você pode se desequilibrar e ir parar no chão, sempre faça isso com apoios… A questão do giro de corpo é importante em trilhas mais estreitas e com risco de queda, onde ao girar o tronco bruscamente você pode empurrar alguém com a mochila ou até perder seu ponto de equilíbrio, atente para isso.

3. Equilíbrio

Se você arrumar sua mochila corretamente, não fizer movimentos desnecessários, não ficar brincando na trilha e usar corretamente os bastões de caminhada/apoios você não terá problema com o equilíbrio. A arrumação da mochila é fundamental neste caso – peso demais em cima ou embaixo da cargueira irá lhe desequilibrar. Os bastões de caminhada são peças importantes que lhe ajudam a manter o equilíbrio. Não os veja como “bengalas”, “coisa de velho” – como eu já ouvi alguns falando…

Mochila cargueira como caminhar

Hasta, bons ventos!

Trekker, montanhista, mochileiro e ciclista. Pratica esportes outdoor desde 1990. Apaixonado por equipamentos, fotografia, viagens, cerveja e tecnologia.

You may also like

5 Comments

  1. Boa noite!
    Gostei muito da matéria. Muito útil. Sempre sigo essas orientações.
    Obrigado

  2. Bom dia..
    Sempre acompanhando os posts.. E devido aos reviews eu adquiri uma Deuter Quantum 70+10L… Gostei muito, mas estou com dúvidas sobre a regulagem da altura pelo sistema vari Quick, gostaria de saber se existe alguma tabela ou coisa do tipo pra ajudar.
    Att. Victor M.
    Muito Obrigado

    1. Olá Victor, não que eu saiba. A melhor tabela na verdade é a tentativa e erro. No caso coloque algumas coisas na mochila para enche-la, ajuste a barrigueira na altura da linha de cintura (exatamente sobre os ossos da bacia), ajuste as alças no meio e no costado de modo com que você não as deixe folgadas demais nem apertadas demais (você não pode sentir o peso da mochila nos ombros, ele deve ficar na barrigueira). Abraços.

  3. Olá Mario, muito bom o seu comentário sobre o uso e regulagem do cinto da mochila. Sou fotógrafo de natureza, e faço trekking com mochilas pesadas com equipamentos fotográficos. Percebo que 90% das pessoas não sabem ajustar o peso da mochila na cintura e deixam a carga nos ombros. Mario, esse seu comentário é muito importante para ficar fora da matéria principal. Sugiro que vc acrescente na matéria principal um item sobre o ajuste da cintura devido à sua importância. Parabéns pela matéria.

    1. Oi Alexandre, na verdade o foco do texto estava mesmo no caminhar, e não nos ajustes da mochila. Mas eu vou colocar a sua sugestão na minha pauta de futuros textos! Infelizmente no momento nós andamos sem tempo para manter o conteúdo aqui, mas a nossa intenção é retomar isso em breve. Abraços.

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *