CalçadosEquipamentos e Reviews

Bota Snake Andina X-Treme

Ontem, terça-feira (08-11-2011), nós fomos até a Adventura no centro do Rio de Janeiro para cobrirmos o lançamento da bota Andina X-Treme, da Snake, A bota ganhou o prêmio de melhor custo benefício de 2011 na categoria de botas de trekking no “Guia de Equipamentos da Revista Go Outside” deste ano, tendo desempenho e conforto avaliados com nota 8.8 – a bota que ficou em primeiro lugar teve notas 9.2 e 9 nestes mesmos quesitos.

Snake Andina X-treme

Uma coisa interessante que foi destacada pelos testadores do Guia de Equipamentos da Go Outside é que a bota se mostra confortável para trekkings longos e com carga. Destaques para os materiais usados no cabedal, solado com borracha ultragrip para maior aderência e a tecnologia interna que ajuda a controlar a absorção da temperatura externa pelo interior da bota. O peso do par fica em aproximadamente 1.2Kg (número 40).

Snake Andina

Quem olha a Andina X-Treme nota elementos de outras botas da Snake, como a parte de trás do cano que lembra muito a Alpinist e a biqueira de borracha que existia em modelos antigos como a Trilogia II. Esses pontos foram mais do que bem aproveitados na Andina X-Treme, já que sempre foram bem comentados nos modelos anteriores onde apareceram. No quesito solado a Snake abandonou o Vibram que era usado em uma linha de botas de montanha mais antiga da marca e passou a usar um solado da MSM, empresa brasileira com 50 anos de mercado que representa a Vibram aqui no Brasil.

Uma reclamação dos antigos solados Vibram Outdoor usados nas botas da Snake era justamente a aderência em rocha ou piso molhados, parece que a borracha usada neste novo solado da MSM é mais macia e permite uma melhor aderência em piso molhado – segundo descrição técnica que consta no site da Adventura. Esse ponto merecia ser melhorado mesmo já que muita gente reclamava da aderência dos modelos antigos com solados Vibram. Abaixo eu deixo vocês com mais algumas fotos e com a descrição técnica da Andina X-Treme.

solado da bota Andina X-treme

Andina X-Treme Verde

Cabedal: Corpo do cabedal em couro bovino nobuk hidrofugado,com resistência à penetração de água. Estrutura com tecido de poliéster e proteção a pequenos impactos laterais com camada de EVA branco densidade de 0,12g/cm3 com espessura de 2 mm.

Solado: X-treme bi-densidade e bi-componente de massa”gel” elaborado com as melhores matérias primas. Desenho do solado desenvolvido para permite boa aderência em superfícies molhadas, com sulcos e tração para saída de lama .

Forração Interna: Tecido Sanitec com tratamento anti-bactericida na cor preta e forração interna com película Sympatex ou equivalente, 100% impermeável, mas que permite a saída da transpiração, costurada com costuras seladas e que oferece conforto interno.

Palmilha de Montagem: Palmilha de montagem da plataforma ao cabedal em recouro de alta resistência, com 3 mm de espessura e que proporciona proteção quanto à penetração de partes pontiagudas do solo, e que não tem suas características afetadas pela umidade.

Palmilha de Conforto: Palmilha de conforto em base Urethane com formato anatômico e sistema regular fit para melhor distribuição do caminhar. Possui tratamento bactericida integral que inibe a proliferação da sudorese excessiva e fungos responsáveis por diversas doenças dermatológicas e odores indesejados.

Cadarço e Linhas: Costuras simples ou duplas conforme a necessidade, feitas com linha hidrofugada,100% poliamida de 1ª qualidade; Cadarço em fio de poliéster, hidrofugado. Altura Media do Cano: Medida interna padrão de 125 mm a partir da palmilha de montagem.

Benefícios: Estrutura de proteção, impermeabilidade, absorção de impacto, tração e durabilidade.
Peso: 1.2kg (par número 40)
Numeração: 36 ao 44
Norma Técnica de Referência: ABNT NBR ISO 20344:2008

A faixa de preço da Snake Andina X-Treme gira em torno de R$ 530,00 – na data atual (Novembro de 2011). A bota está a venda no site da Adventura nas opções preto com verde e marrom com vermelho.

Trekker, montanhista, mochileiro e ciclista. Pratica esportes outdoor desde 1990. Apaixonado por equipamentos, fotografia, viagens, cerveja e tecnologia.

You may also like

3 Comments

  1. Olá!

    Parece uma bota interessante. Tenho algumas botas com o mencionado Vibram outdoor, e é interessante nisso uma coisa: tempos atrás havia a maior propaganda falando deste solado como o “melhor” do mundo e coisas do gênero. E não é que, botando fé na propaganda, deixei de lado o batido solado amazon, comprei uma bota e levei um tombo totalmente gratuito em pedra molhada, me machucando muito?

    Levei também outros tombos gratuitos com esse solado, coisa que nunca esperava (os antigos Amazon NUNCA criaram situações como essas). Pensei: ah, deve ser só o meu caso. Mas surpreende como vejo mais e mais críticas ao Vibram Outdoor (de repente vale uma matéria…). Isso me fez ficar com pé atrás sobre todo esse discurso de “gear de montanha”: o produto promete um monte, é caro pra caramba, mas na hora H deixa na mão (e põe a segurança em risco). Parece coisa de turista, não de quem vai ao mato.

    Mas essa X-treme tem vários elementos que remetem à Attack II, da Guartelá (= Snake). Nesse sentido, parece bastante interessante.

    Abraço!

  2. Então Marcio, eu tenho duas botas com solado Vibram e justamente no modelo Outdoor, compartilho a mesma opinião sua no quesito aderência em piso molhado, eu tomo um cuidado redobrado quando estou com elas em um piso assim. Porém eu tenho um tênis também com solado Vibram, mas com outro modelo que não é o Outdoor (não lembro o nome agora), mas esse outro solado adere muito bem em todas as situações que já usei ele, inclusive em piso de rocha molhada. Essa questão de solado foi corrigida bem rápido, os outros modelos da Snake vieram com outros solados e não com o vibram outdoor, acredito que justamente por causa das reclamações que esse solado recebeu. Abraços

    1. Mário qual bota no momento (out/2017) vc recomenda para travessias brasileiras? Petro-Tere com rocha molhada, mata atlântica úmida e até aproximação de montanha? Pode indicar uma nacional (baixo custo) e outra importada (maior investimento)?

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.